BRANQUIOPLASTIA

O que é Branquioplastia

Braquioplastia é a cirurgia recomendada para o tratamento do excesso de pele nos braços, com ou sem acúmulo de gordura. A flacidez cutânea dessa região ocorre decorrente da perda significativa de peso (após dieta ou cirurgia de redução de estômago), variação constante de peso (efeito sanfona) e envelhecimento. O cirurgião e o paciente devem estar em boa sintonia, já que o resultado final está diretamente relacionado ao tipo de procedimento proposto e ao tamanho das cicatrizes que o paciente está disposto a ter. Assim, o tratamento dos braços pode ser realizado com três diferentes abordagens, cada uma delas com suas indicações, suas cicatrizes e seus resultados.

Cuidados pré-operatórios

Os pacientes terão todas as orientações por escrito sobre a cirurgia, devendo sempre estar atento ao seu estado geral e comunicar qualquer alteração, como uma gripe, dor de garganta, ardor ao urinar, etc. Nesse caso, o paciente será avaliado e a cirurgia poderá ser adiada para sua própria segurança. Deve-se prestar atenção ao jejum, caso este seja solicitado, vir acompanhado para a cirurgia e evitar o uso de brincos, anéis, piercings, esmaltes coloridos nas unhas, etc. O paciente será submetido a uma série de exames pré-operatórios e a avaliações pré-operatórias, a depender das condições clínicas do mesmo. O uso de algumas medicações como ginkgo biloba, ácido acetilsalicílico, bufedil, vitamina E, anticoagulantes e fórmulas para emagrecer deverão ser suspensas pelo menos 15 dias antes da cirurgia. Da mesma forma, o tabagismo é altamente indesejável. Serão feitas fotografias pré-operatórias para posterior comparação.

Qual tipo de anestesia?

Desde que o paciente seja avaliado corretamente, os procedimentos anestésicos atuais oferecem baixíssimos riscos e complicações. Não que os mesmos não existam, porém uma avaliação criteriosa diminui significativamente tais riscos. A braquioplastia habitualmente é realizada com anestesia geral, mas variações podem ocorrer.

A Cirurgia

Dependendo da quantidade de pele em excesso, da vontade do paciente e da opinião do cirurgião, pode-se tratar o braço de três maneiras distintas. Quando ocorre apenas o acúmulo de gordura nos braços, com ausência ou pequena flacidez de pele, é possível realizar uma lipoaspiração, sem ressecção de pele e sem cicatrizes maiores. Quando o excesso de pele é moderado e se localizar próximo à axila, é possível um tratamento com lipoaspiração mais ressecção de pele do tipo “lifting de braço”, deixando apenas uma cicatriz escondida na prega axilar, transversa ao braço e perfeitamente coberta por uma blusa de mangas curtas ou pelo simples repouso do membro na posição ortostática. Se o excesso de pele e a flacidez forem grandes e o paciente desejar um resultado mais exuberante em troca de uma cicatriz mais extensa, realiza-se uma incisão ao longo da face interna do braço com grande ressecção de pele e precisa redução do diâmetro do braço. O ato cirúrgico tem duração média de três horas, o que pode aumentar caso seja associada lipoaspiração ou outros procedimentos. O período de internação pode ser de poucas horas (hospital Day) ou até um dia quando associada a outros procedimentos. O paciente deixa o centro cirúrgico usando uma malha de contenção que deve ser usada segundo orientação do cirurgião por um período pré-determinado.

Cicatrizes

De acordo com a proposta cirúrgica temos: Na lipoaspiração, teremos apenas uma cicatriz na axila de 0,5 cm e outra na prega do cotovelo. No lifting de braço, tem-se uma cicatriz transversa ao braço localizada na axila visível apenas com os braços erguidos e disfarçada sob uma blusa ou camisa de manga curta. Já na braquioplastia convencional, uma cicatriz longitudinal (da axila ao cotovelo), localizada na face interna do braço torna-se mais visível quando comparada às outras técnicas.

As cicatrizes são permanentes e vão se modificando com o decorrer do tempo. Cada paciente comporta-se diferentemente de outro, em relação à evolução das cicatrizes, podendo mesmo, em alguns casos, tornarem-se imperceptíveis e em outros podem ter tendência a cicatrizes hipertróficas ou quelóide.

Dor

Após uma cirurgia de braquioplastia, o paciente pode ter aumento transitório de sensibilidade nas áreas onde foi realizada a cirurgia, porém a dor costuma não ser intensa e pode ser controlada com analgésicos simples. Repouso, evitar movimentos amplos com os braços e uso de roupas confortáveis auxiliam na diminuição da dor.

Recuperação

Durante as duas primeiras semanas, o paciente deverá evitar elevar os braços além da altura dos ombros, porém as mãos e antebraços podem movimentar de maneira normal. Recomenda-se usar a malha por quatro semanas, roupas confortáveis e abertas na frente e evitar a exposição solar. A exposição solar pode marcar permanentemente a cicatriz recente (vermelha) e deverá ser evitada por completo no início, sendo liberado gradualmente e com proteção adequada de acordo com o clareamento (amadurecimento) da cicatriz. Após a cirurgia, a paciente deverá tomar o antibiótico indicado, em geral por sete dias, e analgésicos para controle e alívio da dor. O primeiro retorno será com quatro dias de cirurgia e os demais semanalmente para troca de curativos e acompanhamento. Ao longo do primeiro mês, o paciente deverá voltar a realizar as atividades diárias, como dirigir (com cerca de 20 dias), caminhar etc. Exercícios gerais poderão ser liberados após 40 dias e exercícios localizados em braços após 60 dias. As braquioplastias geralmente não apresentam dor intensa e na sua ocorrência poderá ser controlada com analgésicos simples. Em geral, não são usados pontos externos (apenas pontos absorvíveis internos) não sendo necessária sua retirada. Eventualmente pontos externos podem ser usados e poderão ser retirados em torno do oitavo dia, de maneira seletiva.

Resultado final

Nas primeiras semanas, a região dos braços permanece inchada e com manchas rochas que desaparecem gradativamente. As cicatrizes inicialmente avermelhadas tornam-se esbranquiçadas e finas. Consideramos definitivo o resultado após resolução do edema e a cicatrização que ocorre de seis meses a um ano.

O equilíbrio corporal é a melhor forma de recuperação e resultados.